Plano Terapêutico

 

O plano terapêutico utilizado é o Modelo Minesota, mais popularmente conhecido como “Programa de Doze Passos”, utilizado nas irmandades anônimas e adaptado com sucesso para outros grupos de ajuda mútua. O modelo é multidisciplinar e comporta profissionais de diversas áreas, bem como “conselheiros leigos”, tem como objetivo primordial promover a integração dessas diferentes abordagens em um clima de humildade, respeito e interação dos variados saberes.

O tratamento é fundamentado no conceito de dependência química como um fenômeno bio-psico-sócio-espiritual, ancora-se numa dinâmica essencialmente grupal na qual os alunos compartilham entre si suas histórias e dificuldades, aprendendo a identificar suas emoções, valores e atitudes antes distorcidos pela droga. O modelo aproveita ao máximo a contribuição e o valor da ajuda entre os pares. A ideia é que a partir daí, aprendam um novo estilo de vida, livre das drogas.

A definição e manejo do plano terapêutico seguem as normas sugeridas pelo Conselho Nacional de Políticas Sobre Drogas, através da Resolução CONAD Nº1 de 19 de agosto de 2015, entendida como o Marco Regulatório das Comunidades Terapêuticas no Brasil. O tratamento é focado no indivíduo e contempla mediante a execução do cronograma da casa, atividades que promovem o reconhecimento da doença da dependência química, a consciência da necessidade do “pedido de ajuda”, o autoconhecimento, o desenvolvimento da autoestima, o resgate dos vínculos familiares e sociais e a preparação para o pós tratamento e a ressignificação social.

ATIVIDADES TERAPÊUTICAS

 

Durante o período de internação, o aluno participa de atividades coletivas e individuais que contemplam variados aspectos de sua vida.

 

Espiritualidade

Atividade voltada ao desenvolvimento da espiritualidade de cada de aluno, mantendo o ambiente laico, como forma de fomentar o respeito a todas as religiões.

Videoterapia

Exibição de filmes, majoritariamente relacionados com as temáticas de superação, dependência química, recuperação e formação de valores.

Reunião de Grupo de ajuda

Encontro voltado para a partilha e o recebimento de “ajuda” entre os pares, de maneira que através da experiência “do outro” possam identificarem-se e problematizar suas dificuldades, além de construírem ferramentas que possibilitem o enfrentamento das mais variadas situações.

Atividades práticas inclusivas

Momento em que o aluno realiza tarefas cotidianas para a manutenção da limpeza dos ambientes comuns, tem como objetivo devolver a sensação de produtividade, trabalhar a convivência coletiva, o senso de responsabilidade e respeito pelos outros e pelos locais.

Atividade física

Sempre no final do dia, o esporte é incentivado e os exercícios têm como intenção, não só aprimorar o condicionamento físico, mas também ajudar na desintoxicação natural e facilitar o sono.

Estudo de passos

Reunião para discussão e estudo dos passos, contribui para a elaboração dos passos individuais de cada aluno e também propicia a apresentação dos mesmos, à medida que vão finalizando as atividades.

Palestras

Momentos onde são trazidas palestras informativas ou de experiências (partilhas) a fim de enriquecer os conhecimentos sobre a doença e a recuperação por parte dos alunos.

Psicoterapia em grupo

Atividade que é dinamizada pelo psicólogo, onde o profissional aplica estratégias psicoterápicas variadas, como o psicodrama e conduzida em prol do desenvolvimento do grupo e do indivíduo no tratamento.

Acompanhamentos terapêuticos

Tempo destinado aos retornos do conselheiro aos alunos onde o profissional fornece um parecer de referência sobre o crescimento dos alunos no programa.

Atividades escritas

Espaço reservado para a escrita das atividades individuais onde, cada um, busca numa atmosfera tranquila refletir e escrever as tarefas indicadas direcionando os alunos ao autoconhecimento e ao conhecimento dos aspectos comportamentais que envolvem a doença.

DURAÇÃO E  FASES DO TRATAMENTO

 

O tratamento tem duração de seis meses e cada etapa é avançada de acordo com o perfil individual de cada aluno.

 

Ambientação –  momento destinado ao acolhimento, conhecimento das normas e regras da casa, da equipe, da rotina e a apresentação aos demais alunos.

Desintoxicação – tempo destinado a eliminação da droga existente no corpo e de parte dos pensamentos destrutivos que impediam a crença na recuperação.

Reconhecimento – momento onde o aluno se reconhece como dependente com aceitação da sua doença, a partir da identificação com os outros e da literatura proposta.

Aderência – reforço da decisão tomada ao se internar, consiste na certeza de que embora saiba que haverá momentos difíceis, deseja persistir em busca da manutenção do tratamento.

Conscientização – fundamentação da identificação vivida a partir da consciência do que passou, passa e poderá passar caso escolha o uso de drogas novamente.

Preparação – análise e projeção dos passos futuros e das ferramentas a serem utilizadas a partir do término do tratamento quando não mais estiver em ambiente protegido.

PERFIL DO PACIENTE

 

Pessoas do gênero masculino com problemas de dependência química de substâncias psicoativas. (álcool e demais drogas).

 

ITENS NECESSÁRIOS PARA INTERNAÇÃO

 

  • DOCUMENTOS

Do aluno:  RG, CIC, Comprovante de endereço, exames prévios (se houver)

Do responsável: RG, CIC, Comprovante de endereço

  • ​ENXOVAL: lençol, fronha, creme dental, sabonete, desodorante roll on, sabão em pó.

ENTRE EM CONTATO

NÓS AJUDAMOS VOCÊ!

Está enfrentando problemas de dependência de álcool ou outras drogas?

Está precisando de ajuda?

Entre em contato conosco.

Fale conosco em

(85) 98934-1714

ou preencha o formulário abaixo que nós retornaremos para você!

Desenvolvido por: